Georgios Papanikolaou

13 de mai de 2019



Hoje no Google Doodles você verá uma homenagem à Georgios Papanikolaou, por seu 136° aniversário!
Você mulher já sabe bem quem é ele não é? 😁 😬
Algo interessante: ele também era protetor dos animais, veja abaixo! 😍
Foi em Nova York, na Universidade de Cornell, que Papanikolaou desenvolveu o exame que o consagrou. Ele estudava células sexuais de porquinhos-da-índia, mas não concordava com o método usado, que exigia que os animais fossem mortos para que alguns óvulos fossem coletados. Por isso ele desenvolveu uma forma de coletar os óvulos observando o ciclo menstrual dos animais. Com um pequeno espéculo – um instrumento que dilata o canal vaginal – ele conseguia ter acesso ao colo do útero, e coletar o material a ser estudado, sem sacrificar as porquinhas-da-índia.
Com o tempo, ele passou a usar o mesmo método nas mulheres, para coletar células do colo do útero para análise. Nas análises no microscópio, ele percebeu que mulheres que tinham câncer de colo de útero tinham células malignas coletadas nesse exame. Até então, os exames usados para detectar esse tipo de câncer eram mais agressivos: um pedaço da pele do colo do útero era cortado e enviado para biópsia. O exame de Papanikolaou era muito menos invasivo, menos dolorido e bem eficaz.
O médico grego conseguiu demonstrar que o exame desenvolvido por ele conseguia diagnosticar a doença em estágios realmente iniciais, antes de qualquer sintoma, coisa que a biópsia não conseguia.
Rapidamente o exame de papanicolau passou a ser adotado em diversos países – e, com isso, o número de mortes causadas por câncer de colo de útero despencou. No Brasil, as Diretrizes Brasileiras Para o Rastreamento do Câncer de Colo de Útero, do Ministério da Saúde, indicam que o exame seja feito em mulheres que têm ou já tenham tido atividade sexual, a partir dos 25 anos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário